sexta-feira, 11 de novembro de 2016

OCEANIA

Introdução
A Oceania é o continente mais isolado do mundo, sua barreira geográfica fez com que fosse o último a ser “descoberto” pelos europeus. Em razão desse atraso em seu descobrimento ficou conhecido como “novíssimo mundo“
Assim como na América e na África, a Oceania era ocupada por nativos antes da chegada dos europeus, em pouco tempo grande parte desses povos foram praticamente dizimados e os que restaram reivindicam até os dias de hoje os seus direitos.

Colonização da Austrália 
Os britânicos incorporaram a Austrália aos seus domínios em 1770.  No ano da incorporação oficial, habitaram a ilha-continente cerca de 300 mil nativos, divididos em mais de 600 tribos, que falavam mais de 500 dialetos. Viviam num estágio cultural bastante primitivo, desconhecendo até a prática agrícola.
No século XVIII, a ocupação britânica restringiu-se à implantação de colônias penais, a mais importante delas nas proximidades da cidade de Sydney, e à fixação de um pequeno número de colonos, que constataram as grandes possibilidades de se desenvolver a pecuária com sucesso na colônia.
Colonização da Nova Zelândia
Quando a Nova Zelândia foi formalmente ocupada pelos britânicos em 1840,  as suas ilhas eram habitadas pelos maoris, povo de origem polinésia. De 1845 a 1870, com a intensificação da colonização, ocorreram pesados conflitos entre britânicos e maoris, contrários à ocupação de suas terras.
Derrotados, os maoris, que foram reduzidos de 300 000 para pouco mais de 40 000, assinaram uma série de acordos com os colonizadores.
Divisão territorial
Australásia: são as maiores ilhas, Austrália, Tasmânia, Nova Guiné e geograficamente, porém não cultural e historicamente, a Nova Zelândia;
Melanésia ("ilhas negras"): o nome é derivado de melanina, pigmento escuro da pele, e alude à cor dos habitantes dessas ilhas pouco extensas, localizadas, em sua maioria, ao norte, nordeste e leste da Austrália. Grande parte delas são possessões francesas e britânicas; as que constituem países independentes são Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Vanuatu e Fiji;
Micronésia ("pequenas ilhas"): formada por ilhas muito pequenas, situadas ao norte e nordeste da Melanésia. O Reino Unido e os Estados Unidos possuem o maior número de territórios dessa área. Kiribati, Palau, Estados Federados da Micronésia, Ilhas Marshall e Nauru são os países independentes desse grupo;
Polinésia ("muitas ilhas"): corresponde às ilhas mais distantes da Austrália, dispersas por uma grande área do Pacífico. São em sua maioria possessões britânicas e francesas. Os países independentes da Polinésia são Tonga, Samoa, Tuvalu e, historicamente e culturalmente (o último em relação aos seus povos aborígenes), a Nova Zelândia (nome polinésio: Aotearoa). O estado  estadunidense do Havaí e a ilha chilena Rapa Nui ou Ilha de Páscoa também fazem parte da Polinésia.
A maior parte do continente é de formação vulcânica e, o fato de estarem localizados no limite da placa tectônica do pacífico faz com que a região mantenha uma atividade sísmica e vulcânica bastante alta.
Os vulcões Mauna Loa e Kilauea são os recordistas mundiais em quantidade de lava expelida. ( SIM, o Hawai é um estado americano que faz parte da Oceania!)
Relevo
O relevo da Oceania é predominantemente plano, com altitude média de 210 metros. Ao oeste das montanhas está a Bacia Cental , uma planície de estepes e savana. Ainda mais ao oeste se encontram o Grande Deserto Gibson e o Grande deserto Vitória , onde se erguem os montes Musgrave e MacDonnell.
No sudoeste fica a planície de Nullarbor. No território australiano encontram-se as planícies, bastante largas no norte, junto ao golfo da Carpentária e também no sudeste, próximo aos rios Murray e Darling.
As montanhas que formam os Alpes Australianos localizam-se no leste e no sudeste, com altitudes modestas. A maior parte do país é formado por planaltos,  geralmente baixos e relativamente planos.
Na Nova Zelândia e Papua Nova Guiné há planícies, vales e grandes montanhas. O pico mais alto do continente é o monte Wilhelm com 4.509 metros em Papua Nova Guiné; as paisagens são notáveis por sua variedade e, em particular, por seu aspecto  montanhoso.
Clima e vegetação
Com relação ao clima da Oceania podemos destacar a presença do clima desértico na parte interior da Austrália. Em grande parte das ilhas do continente destaca-se o clima tropical.
Na vegetação da Oceania, exceto na região desértica da Austrália, destacam-se a presença de florestas tropicais.
Hidrografia
A Oceania tem poucos rios importantes o que se deve em boa parte à pequena superfície das ilhas.
Apesar da forte pluviosidade, os leitos dos rios não dispõem de extensão suficiente para formação de cursos significativos.
Merecem destaque o Murray e seu afluente Darling, na Austrália; o Waikato, na Nova Zelândia; e o Daru, o Fly, o Kikori, o Purari, o Ramu e o Sepik, em Papua Nova Guiné.
Fauna
A fauna apresenta muitas espécies endêmicas e bastantes características como, por exemplo, os cangurus  que existem apenas na Austrália.
Existem mais de 50 espécies deles e as espécies variam desde os pequenos wallabies até os maiores marsupiais do planeta, os cangurus marrons.
Outros animais típicos são os coalas, o diabo da tasmânia – que ganhou esse nome devido aos dentes afiadíssimos e bastante aparentes e que quase foi extinto, o dingo – uma espécie de cão selvagem, e o curioso ornitorrinco, um mamífero que bota ovos, tem pêlo, bico de pato e um ferrão na cauda. O crocodilo também um animal típico da Austrália e também um dos mais perigosos.
A água viva, a “Box Jellyfish” ou “Sea Wasp”. Seus tentáculos podem chegar a vários metros de comprimento e liberam uma toxina mortal.
Outra água viva, a “Irukandji” é o menor animal do mundo com a capacidade de matar um homem adulto.
Até mesmo os cangurus, considerados pragas na Austrália, podem representar perigo devido ao grande número de acidentes causados por eles nas estradas.
Economia
A economia da Oceania é bem diversificada. Enquanto os países desenvolvidos (Austrália e Nova Zelândia) destacam-se pela fabricação de produtos industrializados e tecnologia, as outras ilhas da Oceania são dependentes da produção de gêneros agrícolas.
O Japão é um dos seus grandes parceiros comerciais.
Curiosidade: Alice Springs
Muito diferente de cidades grandes e conhecidas da Austrália, Alice Springs, além de ser a única cidade do deserto do país, é equidistante a todas as praias da Austrália.
"Alice", como chamada pelos seus locais, é considerada o centro do país e um oásis no meio do deserto australiano. 
A cidade é pequena e simples, com apenas 27 mil habitantes. Mas é cheia de peculiaridades.
A começar pelos seus personagens, que parecem ter saído de um filme com esses chapéus de cowboy. E um rio, que passa 95% do ano completamente seco.
Dizem até que Alice é o centro do mundo. Uma placa indicando isso está lá: “Rio de Janeiro a 14 mil quilômetros dali”.





Atividade
1- Por que a Oceania  ficou conhecida como “novíssimo mundo“?
2- Qual similaridade podemos encontrar na ocupação europeia da América ,  África, a Oceania?
3- Quando se deu a colonização britânica na Austrália
4 – qual a descoberta que os colono que fixaram residência nas proximidade de Sydney?
5- No século XVIII, a ocupação britânica restringiu-se à:
6-  Como se deu o processo de independência da Austrália ?
7- Qual o saldo trágico na ocupação da Nova Zelândia?
8- Geograficamente como é constituído o continente da   Oceania?
9- Como é formada a população da Oceania?
10- Como é formada a divisão territorial da Oceania?
11- O que se entende pela expressão melanésia ?
12- Como é formada a Micronésia?
13- Qual a principal característica da geologia da Oceania?
14- Quais os vulcões que se destacam na Oceania?
15- Como é caracterizado o relevo da Oceania?
16-  como é caracterizado o clima e a vegetação da Oceania?
17- Como é caracterizada a hidrografia da Oceania?
18- Sobre a fauna que animais típicos australianos podemos citar?
19-  Como é caracterizada a economia da Oceania?









OCEANIA

Introdução
A Oceania é o continente mais isolado do mundo, sua barreira geográfica fez com que fosse o último a ser “descoberto” pelos europeus. Em razão desse atraso em seu descobrimento ficou conhecido como “novíssimo mundo“
Assim como na América e na África, a Oceania era ocupada por nativos antes da chegada dos europeus, em pouco tempo grande parte desses povos foram praticamente dizimados e os que restaram reivindicam até os dias de hoje os seus direitos.

Colonização da Austrália 
Os britânicos incorporaram a Austrália aos seus domínios em 1770.  No ano da incorporação oficial, habitaram a ilha-continente cerca de 300 mil nativos, divididos em mais de 600 tribos, que falavam mais de 500 dialetos. Viviam num estágio cultural bastante primitivo, desconhecendo até a prática agrícola.
No século XVIII, a ocupação britânica restringiu-se à implantação de colônias penais, a mais importante delas nas proximidades da cidade de Sydney, e à fixação de um pequeno número de colonos, que constataram as grandes possibilidades de se desenvolver a pecuária com sucesso na colônia.
Colonização da Nova Zelândia
Quando a Nova Zelândia foi formalmente ocupada pelos britânicos em 1840,  as suas ilhas eram habitadas pelos maoris, povo de origem polinésia. De 1845 a 1870, com a intensificação da colonização, ocorreram pesados conflitos entre britânicos e maoris, contrários à ocupação de suas terras.
Derrotados, os maoris, que foram reduzidos de 300 000 para pouco mais de 40 000, assinaram uma série de acordos com os colonizadores.
Divisão territorial
Australásia: são as maiores ilhas, Austrália, Tasmânia, Nova Guiné e geograficamente, porém não cultural e historicamente, a Nova Zelândia;
Melanésia ("ilhas negras"): o nome é derivado de melanina, pigmento escuro da pele, e alude à cor dos habitantes dessas ilhas pouco extensas, localizadas, em sua maioria, ao norte, nordeste e leste da Austrália. Grande parte delas são possessões francesas e britânicas; as que constituem países independentes são Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Vanuatu e Fiji;
Micronésia ("pequenas ilhas"): formada por ilhas muito pequenas, situadas ao norte e nordeste da Melanésia. O Reino Unido e os Estados Unidos possuem o maior número de territórios dessa área. Kiribati, Palau, Estados Federados da Micronésia, Ilhas Marshall e Nauru são os países independentes desse grupo;
Polinésia ("muitas ilhas"): corresponde às ilhas mais distantes da Austrália, dispersas por uma grande área do Pacífico. São em sua maioria possessões britânicas e francesas. Os países independentes da Polinésia são Tonga, Samoa, Tuvalu e, historicamente e culturalmente (o último em relação aos seus povos aborígenes), a Nova Zelândia (nome polinésio: Aotearoa). O estado  estadunidense do Havaí e a ilha chilena Rapa Nui ou Ilha de Páscoa também fazem parte da Polinésia.
A maior parte do continente é de formação vulcânica e, o fato de estarem localizados no limite da placa tectônica do pacífico faz com que a região mantenha uma atividade sísmica e vulcânica bastante alta.
Os vulcões Mauna Loa e Kilauea são os recordistas mundiais em quantidade de lava expelida. ( SIM, o Hawai é um estado americano que faz parte da Oceania!)
Relevo
O relevo da Oceania é predominantemente plano, com altitude média de 210 metros. Ao oeste das montanhas está a Bacia Cental , uma planície de estepes e savana. Ainda mais ao oeste se encontram o Grande Deserto Gibson e o Grande deserto Vitória , onde se erguem os montes Musgrave e MacDonnell.
No sudoeste fica a planície de Nullarbor. No território australiano encontram-se as planícies, bastante largas no norte, junto ao golfo da Carpentária e também no sudeste, próximo aos rios Murray e Darling.
As montanhas que formam os Alpes Australianos localizam-se no leste e no sudeste, com altitudes modestas. A maior parte do país é formado por planaltos,  geralmente baixos e relativamente planos.
Na Nova Zelândia e Papua Nova Guiné há planícies, vales e grandes montanhas. O pico mais alto do continente é o monte Wilhelm com 4.509 metros em Papua Nova Guiné; as paisagens são notáveis por sua variedade e, em particular, por seu aspecto  montanhoso.
Clima e vegetação
Com relação ao clima da Oceania podemos destacar a presença do clima desértico na parte interior da Austrália. Em grande parte das ilhas do continente destaca-se o clima tropical.
Na vegetação da Oceania, exceto na região desértica da Austrália, destacam-se a presença de florestas tropicais.
Hidrografia
A Oceania tem poucos rios importantes o que se deve em boa parte à pequena superfície das ilhas.
Apesar da forte pluviosidade, os leitos dos rios não dispõem de extensão suficiente para formação de cursos significativos.
Merecem destaque o Murray e seu afluente Darling, na Austrália; o Waikato, na Nova Zelândia; e o Daru, o Fly, o Kikori, o Purari, o Ramu e o Sepik, em Papua Nova Guiné.
Fauna
A fauna apresenta muitas espécies endêmicas e bastantes características como, por exemplo, os cangurus  que existem apenas na Austrália.
Existem mais de 50 espécies deles e as espécies variam desde os pequenos wallabies até os maiores marsupiais do planeta, os cangurus marrons.
Outros animais típicos são os coalas, o diabo da tasmânia – que ganhou esse nome devido aos dentes afiadíssimos e bastante aparentes e que quase foi extinto, o dingo – uma espécie de cão selvagem, e o curioso ornitorrinco, um mamífero que bota ovos, tem pêlo, bico de pato e um ferrão na cauda. O crocodilo também um animal típico da Austrália e também um dos mais perigosos.
A água viva, a “Box Jellyfish” ou “Sea Wasp”. Seus tentáculos podem chegar a vários metros de comprimento e liberam uma toxina mortal.
Outra água viva, a “Irukandji” é o menor animal do mundo com a capacidade de matar um homem adulto.
Até mesmo os cangurus, considerados pragas na Austrália, podem representar perigo devido ao grande número de acidentes causados por eles nas estradas.
Economia
A economia da Oceania é bem diversificada. Enquanto os países desenvolvidos (Austrália e Nova Zelândia) destacam-se pela fabricação de produtos industrializados e tecnologia, as outras ilhas da Oceania são dependentes da produção de gêneros agrícolas.
O Japão é um dos seus grandes parceiros comerciais.
Curiosidade: Alice Springs
Muito diferente de cidades grandes e conhecidas da Austrália, Alice Springs, além de ser a única cidade do deserto do país, é equidistante a todas as praias da Austrália.
"Alice", como chamada pelos seus locais, é considerada o centro do país e um oásis no meio do deserto australiano. 
A cidade é pequena e simples, com apenas 27 mil habitantes. Mas é cheia de peculiaridades.
A começar pelos seus personagens, que parecem ter saído de um filme com esses chapéus de cowboy. E um rio, que passa 95% do ano completamente seco.
Dizem até que Alice é o centro do mundo. Uma placa indicando isso está lá: “Rio de Janeiro a 14 mil quilômetros dali”.

















sexta-feira, 29 de julho de 2016

ATIVIDADE CONTINENTE AMERICANO

1 CITE A LOCALIZAÇÃO DA AMÉRICA DO  NORTE:
2 QUANTOS PAÍSES FORMAM A A N?
3 QUE FATO É DETERMINANTE PARA A SITUAÇÃO ATUAL DOS PAÍSES DA AMÉRICA DO  NORTE?
4 QUAL O OUTRO NOME QUE SE DÁ A  AMÉRICA DO  NORTE?
5 QUAIS OS OCEANOS QUE BANHAM A AMÉRICA DO  NORTE?
6 CITE UMA CARACTERÍSTICA DAS COLONIAS DE POVOAMENTO:
7 CITE UMA CARACTERÍSTICA DAS COLONIAS DE EXPLORAÇÃO:
8 EXPLIQUE A DIFERENÇA E AS CONSEQUÊNCIAS DAS COLÔNIAS DE POVOAMENTO E DE EXPLORAÇÃO:
9 QUAIS OS TIPOS DE RELEVO DA AMÉRICA DO  NORTE?
10 ONDE ENCONTRAMOS A MAIOR CONCENTRAÇÃO DE LAGOS NA AMÉRICA DO  NORTE?
11 CITE OS LAGOS MAIS IMPORTANTES:

12 QUAL O RIOS QUE MAIS NO CANADÁ E NOS EUA?
13 CITE AS CARACTERÍSTICAS DA VEGETAÇÃO TUNDRA:
14 ONDE OCORRE A FLORESTA TEMPERADA?
15 COMO É A VEGETAÇÃO ESTEPE E PRADARIA?
16 ONDE OCORRE A VEGETAÇÃO DESÉRTICA?
17 COMO É A TEMPERATURA  ONDE OCORRE A VEGETAÇÃO SAVANA?
18 COMO É A COBERTURA VEGETAL NO CLIMA DE MONTANHAS?
19 ONDE OCORRE A AUSÊNCIA DE VEGETAÇÃO?

CONTINENTE ASIÁTICO

CONTINENTE  ASIÁTICO
ASPECTOS FÍSICOS
          Situada quase totalmente no hemisfério norte, é cortado pela Linha do Equador, Trópico de Câncer e pelo Círculo Polar Ártico.
          Tomando como base o Meridiano de Greenwich, o continente se encontra no hemisfério ORIENTAL ou LESTE.
O continente asiático é o maior do planeta, com 44.482.000 Km2 divididos por 45 países, sendo o mais populoso, com mais de 60% da população mundial.
          Devido ao seu tamanho abriga uma rica e histórica diversidade étnica, como indianos, japoneses, árabes entre outros berço das principais religiões como islamismo, budismo e cristianismo.
          É um continente aonde encontramos as maiores e menores altitudes do globo e países ricos e outros extremamente pobres.
          A Ásia está sobre cinco placas tectônicas:
Eurasiana
Arábica
Indiana
Filipina
Pacífico
Principal consequência:
INSTABILIDADE SÍSMICA
Ou seja
          Grandes riscos de acontecer desastres naturais como: terremotos, tsunamis e atividades vulcânicas.
TERREMOTO
Japão, Turquia, Irã, Índia e Paquistão são países que sofrem com terremotos por estarem nas bordas das placas.
TSUNAMI
Quando os movimentos ocorrem no piso oceânico, a energia liberada produz ondas gigantes, denominadas de tsunamis.
VULCANISMO
Na Indonésia e Filipinas a população convive com vulcanismos ainda em atividade.
          Países castigados pela enorme onda : Bangladesh, Índia, Indonésia, Malásia, Maldivas, Mianmar,  Sri Lanka e Tailândia
MONTE  EVEREST
          A Cordilheira do Himalaia, onde se encontra o Everest, o ponto mais elevado da superfície terrestre, é resultado do encontro das placas tectônicas Indiana e Eurasiana.
HIDROGRAFIA
O relevo e o clima exercem forte influência na hidrografia do continente asiático, na região central do continente encontramos as maiores altitudes e é nesta área que originam-se os principais rios.
Os grandes rios da Vertente do Ártico permanecem congelados maior parte do ano devido as altas altitudes e invernos rigorosos.
Principais rios: Lenissei – 4.506 Km, e o Lena com 4.267 Km de extensão.
Na Vertente do Pacífico, encontramos rios de regimes mistos, abastecidos pelo derretimento da neve no inverno e no verão pelas chuvas provocada pelo regime de monções.
Principais rios: Yang-Tsé (Rio Azul) – 5.797 Km, e o Hoang-Ho (Rio Amarelo) com 4.666 Km de extensão
O Rio Amarelo é utilizado para irrigação, porém seu uso intensivo fez com que diminuísse a sua vazão, fator que preocupa.
A Usina das Três Gargantas como é conhecida, encontra-se no rio Yang-Tsé Kiang, conhecido como Rio Azul, é a maior usina em capacidade instalada no mundo, cuja obra foi concluída em 2006.
          A construção da barragem trouxe como impacto ambiental um lago com 600 KM de extensão, e inundou terras férteis levando o governo chinês a deslocar mais de 1,3 milhão de pessoas para outra áreas.
          O governo Chinês pretende produzir mais energia elétrica, pois a demanda industrial do país é enorme.
Na Vertente Índica
Principais rios: Ganges – 2.506 Km, e o Bramaputra com 2.707 Km de extensão.
          O Rio Ganges possui um grande valor histórico: diversas capitais de províncias ou impérios, localizam-se em suas margens. O Ganges e seus afluentes abrangem uma bacia hidrográfica fértil de cerca de um milhão de quilômetros quadrados, nos quais vive uma das mais altas densidades populacionais de seres humanos de todo o planeta
No Oriente Médio 
Principais rios: Tigre – 1.950 Km, e o Eufrates com 2.760 Km de extensão.
Os dois nascem na Turquia percorrem, passam pela Síria e Iraque utilizando suas águas para irrigação, assim é possível que  eles acabem se tornando motivos de conflitos entre esses países.
O MAR DE ARAL
O Mar de Aral que já foi considerado o quarto maior lago do mundo, está desaparecendo, a agricultura irrigada sem os devidos estudos ambientais reduziram as vazões dos rios que o abastecem. Sua antigas praias tornaram-se desertos e sua água salobra e contaminada por defensivos agrícolas.
MAR CÁSPIO
O Mar Cáspio é o maior lago da Terra em área e volume, banha a Rússia, Turcomenistão, Cazaquistão e Irã. Sendo a foz dos rios Volga e Ural.
MAR MORTO       
O Mar Morto tem esse nome devido a grande quantidade de sal por ele apresentada, dez vezes superior à dos demais oceanos, o que torna impossível qualquer forma de vida - flora ou fauna - em suas águas. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço da sua superfície, em grande parte por causa da exploração excessiva de seu afluente, única fonte de água doce da região, o Rio Jordão.
CLIMAS NA ÁSIA
A Ásia se encontra nas zonas intertropical, temperada norte e glacial ártica da Terra, com isso ela apresenta os seguintes climas:
CLIMA POLAR
ü  Longos e rigorosos invernos e verões curtos.
ü  Temperaturas entre -15 C0 e -5C0 .
ü  Superfície permanece coberta por gelo o ano todo.
ü  Baixa concentração de população nesta região.
ü  Precipitações bastante reduzidas (de 10 mm a 1.000mm).
BIOMA TUNDRA
ü  Vegetação composta por herbáceas, musgos e líquens.
ü  A fauna é composta por renas, lobos, raposas e aves.
CLIMA SUBPOLAR
ü  Temos invernos frios e longos, com verões curtos.
ü  Temperaturas entre -5 e 3
ü  Índices pluviométricos aumentam chegando a 1.700 mm
BIOMA TAIGA      
ü  As coníferas predominam na floresta de taiga, são árvores perenifólias, caducifólias ou caducas, pois perdem suas folhas durante o ano.
ü  São exploradas na construção civil e produção de papel.
ü  Fauna composta por ursos, cervos, lobos e raposas.
CLIMA TEMPERADO:
Temperado Oceânico: Temperaturas mais amenas e maior índice pluviométrico.
Temperado Continental: Maior rigor climático e amplitude térmica
Na região temperada também temos o :
CLIMA SUBTROPICAL:
ü  Temperaturas amenas durante o inverno e verões bastante quentes.
ü  É nas florestas temperadas que encontramos uma maior variedade de espécies vegetais, por estar em latitudes menores e sob climas temperados.
ü  As chuvas são abundantes e bem distribuídas durante o ano e os solos são considerados férteis.
ü  Está floresta aberta é formada por árvores caducifólias, no inverno perde as folhas, e gramíneas entre as árvores.
ü  Fauna composta por raposas, lebres, porcos, esquilos e aves de diversas espécies.
CLIMA EQUATORIAL:
ü  Quente e úmido
ü  Temperaturas médias entre 25ºC e 27ºC
ü  Amplitudes térmicas reduzidas
ü  Alta pluviosidade superando (2.000 mm/anuais) e chuvas bem distribuídas
BIOMAS NA ÁSIA
FLORESTAS TROPICAIS E EQUATORIAIS
ü  Grande número de espécies vegetais formando uma floresta densa.
ü  Os solos são classificados como fracos a moderadamente férteis, sustentados pela umidade da floresta.
ü  A região apresenta uma curta estação seca, durante a qual algumas árvores perdem as folhas.
ü  As florestas são intensamente exploradas pelo comércio da madeira, fazendo desaparecer extensas áreas de floresta das Filipinas e Bornéu.
CLIMAS NA ÁSIA
CLIMA FRIO DE MONTANHA OU ALTITUDE:
ü  Mesmo na região intertropical há o predomínio de neve nos picos
ü  Sobre os picos mais elevados temos as neves eternas, mas com o aquecimento global elas estão desaparecendo aos poucos.
          VEGETAÇÃO DE ALTITUDE
ü  Vegetações montanhosas que diminuem conforme se eleva a altitude
ü  Abaixo onde não há neve apresentam-se solos rasos e pedregosos com pouca capacidade de armazenar água.
ü  Vegetação predominante musgos, liquens e gramíneas.
Porém nestas áreas encontramos diversas formações vegetais que sucedem conforme a altitude, sendo possível encontrar florestas
CLIMA MEDITERRÂNEO:
ü  Possuí uma estação seca no verão e outra chuvosa no inverno.
ü  Precipitação varia de 200 mm e 1.000.
BIOMAS DA ÁSIA
As vegetações mediterrâneas ocorrem nas bordas do Mar Mediterrâneo, Egeu e do Mar Negro. AS ESTEPES OU PRADARIAS,
ü  O clima apresenta invernos frios e verões moderados.
ü  Temperaturas entre -5 e 18 Cº.
ü  Possuem uma vegetação herbácea e arbustiva.
As pradarias russas geralmente são verdes, porém, nas regiões mais centrais, aonde o clima varia do semiárido e deserto, as estepes são secas
A continentalidade é um fator importante devido  tamanho do continente. Montanhas das regiões impedem que os ventos úmidos provenientes do oceano cheguem aos planaltos entre montanhas o que resulta na formação de alguns desertos como do :  Oriente Médio, Turcomenistão, Usbequistão, Tibet, Pamir e Gobi.
CLIMA DE MONÇÕES:
ü  Grande quantidade de chuva durante o verão
ü  Durante o inverno longos períodos de seca
ü  Este clima é peculiar a região asiática e é conhecido pelas grandes enchentes que causa durante o verão.
ü  Ao se comparar o mapa demográfico com o físico notamos que a distribuição da população do continente asiático inferior a 1 Hab/Km2, estão localizadas aonde o clima é mais rigoroso, seja frio ou quente.
ü            E são nas regiões aonde o clima é mais ameno e nos vales dos grandes rios da Ásia, encontramos umas densidade maior.
ü  Na década de 1970, quatro países da Ásia (Cingapura, Hong Kong, Coréia do Sul e Taiwan) apresentaram um acelerado processo de industrialização. Em razão da agressividade administrativa e da localização dos países, eles ficaram conhecidos mundialmente como Tigres Asiáticos.

          O modelo industrial desses países é caracterizado como IOE (Industrialização Orientada para a Exportação), ou seja, as indústrias transnacionais que se estabeleceram nesses países e as empresas locais implantaram um parque industrial destinado principalmente para o mercado exterior.
ü  Eles utilizaram estratégia arrojada de atração de capital estrangeiro - apoiada na mão-de-obra barata e disciplinada, na isenção de impostos e nos baixos custos de instalação de empresas.

sábado, 23 de julho de 2016

AMÉRICA DO NORTE ASPECTOS NATURAIS E POVOAMENTO

América do Norte
A América do Norte está localizada no extremo norte das Américas, é composta por apenas três países: Estados Unidos, Canadá e México, além de territórios de domínios europeus, como a Groenlândia (pertencente ao Reino da Dinamarca, com representação no parlamento) e Bermudas (dependência britânica). Os dois primeiros são os únicos do continente americano que estão inseridos no grupo dos países mais importantes político e economicamente, especialmente o primeiro, que possui a condição de maior potência mundial, já o terceiro configura-se como um país em desenvolvimento, ou seja, emergente.
Um fato determinante na atual condição dos países citados é o fator histórico, assim como todas as nações das Américas, os Estados Unidos e o Canadá também foram colonizados por Europeus, entretanto, o modo como foi desenvolvido foi diferente, pois enquanto o centro e o sul das Américas foram colônias de exploração, as nações em questão viveram um processo de povoamento. A América do Norte é também conhecida por América Anglo-Saxônica (de língua inglesa) ou América desenvolvida.
Aspectos naturais da América do Norte:
A América do Norte é banhada ao norte pelo oceano glacial Ártico, a oeste pelo Oceano Pacífico e a leste pelo Oceano Atlântico.
Povoamento
As colônias de povoamento correspondem àquelas que se desenvolveram nas áreas temperadas da América, melhor exemplificadas com as colônias inglesas da América do Norte, especialmente a Nova Inglaterra. Essas, apresentam as seguintes características:
• Povoamento por grupos familiares de refugiados religiosos (puritanos); por essa razão, permanente, onde o ideal de fixação estava associado ao desejo de prosperidade e desenvolvimento, tentando reproduzir na América a forma de vida que possuíam na Europa.
• Ideal de acumulação vinculado à valorização do trabalho, à poupança e à capitalização.
• Investimento na própria colônia dos lucros gerados pela produção local, convergindo para a metrópole apenas os tributos.
• A produção colonial atendia à satisfação das necessidades internas e se organizava em pequenas propriedades, com grande utilização do trabalho livre e familiar.
• Criação de um mercado interno.
• Valorização da educação, da instrução e da mulher.
• Consciência da autonomia e desenvolvimento precoce do ideal de emancipação.
Exploração
As colônias de exploração, exemplificada pela colonização portuguesa no Brasil, correspondiam aos interesses mercantilistas da época e apresentam as seguintes características:
• Ocupação espontânea, consequentemente temporária, por grupos de indivíduos onde o ideal de fixação foi suplantado pelo ideal de exploração econômica, de forma imediata e sem grandes investimentos.
• Ideal de enriquecimento rápido na colônia com gastos na Europa (“Fazer a América”), vinculado à mentalidade transoceânica, em que, em geral, as famílias ficavam na metrópole.
• Exportação para a metrópole da totalidade dos lucros obtidos com a produção colonial.
• Produção em grande escala para o mercado externo, atendendo aos interesses metropolitanos, baseada na grande propriedade e no trabalho escravo.
• Economia extrovertida e dependente, impedindo a formação de um mercado interno.
• Desvalorização do trabalho manual, da educação, da instrução e da mulher.
• Desenvolvimento tardio do ideal de emancipação.
Consequências
Os dois tipos de colonização explicam as diferenças que se apresentarão posteriormente: o Brasil colônia não prosperou, ao contrário da Nova Inglaterra, que foi o embrião do desenvolvimento norte-americano. Portanto, é o sentido da colonização, essencialmente de exploração, o grande responsável pelos problemas do atraso que ainda hoje marcam o nosso país, e não outros fatores, como clima, raça, miscigenação ou religião, carentes de base histórico-científica.
Uma experiência de colonização de povoamento no Brasil foi realizada no litoral de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, no século XVIII. Para estas áreas foram trazidas famílias de açorianos, em caráter permanente, que, entre outras, desenvolveram a produção diversificada em pequenas propriedades. E o caso de Florianópolis e Laguna, em Santa Catarina, e de Porto dos Casais, no Rio Grande do Sul, hoje a cidade de Porto Alegre.
Relevo
Quanto ao relevo, a América do Norte apresenta basicamente três tipos, como ocorre em grande parte de todo continente americano.

 Porção ocidental: abriga uma série de cadeias de montanhas, muitas dessas são vulcões que se encontram em atividade e, pois isso há uma grande ocorrência de terremotos. Dentre as muitas montanhas presentes as principais são: Cadeias da Costa, Sierra Nevada e as montanhas Rochosas.
Porção oriental: corresponde a regiões onde se encontram planaltos e montanhas de idade geológica antiga e que, devido a isso, sofreu diversos e longos processos erosivos. Os principais planaltos são: Labrador (Canadá) e Monte Apalache (Estados Unidos).

 Porção central: essa região abriga extensas áreas compostas por planícies, abrangendo também rios e lagos, as mais conhecidas são: as planícies de Lacustre (Canadá), do Mississipi (Estados Unidos) e a planície dos Grandes Lagos.
Hidrografia
A hidrografia da América do Norte é bastante diversificada, no território canadense o lagos predomina, existe pelo menos 150 mil lagos, grande parte de origem glacial.
A maior concentração de lagos da América do Norte está localizada entre as fronteiras dos Estados Unidos e do Canadá, diante disso, os maiores e mais importantes são: Superior, Michigan, Huron, Iria e Ontário, o primeiro possui 84 mil km².
Quantos aos rios, no Canadá o que se destaca é o rio São Lourenço, isso por que serve como hidrovia entre os   Lagos e o Oceano Atlântico. Nos Estados Unidos, o mais importante quanto à capacidade de navegação é o rio Mississipi, outros importantes são Colorado e Columbia, ambos utilizados na irrigação e na geração de energia elétrica.
Clima e vegetação da América do Norte
Floresta Temperada: esse tipo de vegetação ocorre em regiões onde predomina o clima temperado, caracteriza-se por apresentar as estações do ano bem definidas com invernos frios e verões quentes, as florestas temperadas são compostas por árvores caducifólias e musgos, e presença de cedros, carvalho e pinheiro.
Estepe e Pradaria: ocorre em áreas que possuem clima semiárido, com temperaturas elevadas e longos períodos de estiagem, devido a essa adversidade, a composição vegetativa é bastante restrita com a presença de gramíneas e ausência de árvores.
Vegetação desértica: desenvolve em regiões desérticas no sul dos Estados Unidos, na fronteira com o México, e também na região do rio Colorado. O clima é desértico, por isso é seco durante todo o ano.
Savana: ocorre em lugares onde há incidência de chuvas regulares durante o ano e temperaturas sempre abaixo de 10ºC nas estações do outono e inverno.
Vegetação de montanhas: Devido à altitude a temperatura tende a cair, assim, apresenta clima parecido com o clima frio, quanto à cobertura vegetal existem poucas formas presentes.
Ausência de vegetação: ocorre em regiões da América do Norte que possui temperaturas muito frias, ou seja, polar. Essa adversidade climática não permite o desenvolvimento de nenhuma forma de vegetação.